top of page
Buscar
  • Adilson de Lucca

Polícia investiga morte de Kelly, transexual que foi agredida com jato de extintor, em Marília


Kelly foi agredida com jato de extintor, em julho do ano passado

A Polícia Civil está investigando a morte da transexual Kelly Fernandes dos Santos, de 23 anos. Ela foi encontrada morta no final da tarde do sábado (30), na casa onde morava, na Rua Almirante Tamandaré, na zona oeste de Marília.

Familiares relataram que Kelly chegou em casa no final da madrugada do sábado, por volta das 4h, se queixando que estava com frio.

No final da tarde, um tio adentrou o quarto da transexual para pegar um carregador de celular e notou que a vítima estava caída no chão, desacordada e com sinais de rigidez. O SAMU foi acionado e a médica constatou o óbito no local.

AGRESSÃO COM EXTINTOR

Kelly foi agredida com jato de extintor de incêndio em julho do ano passado, quando estava em um ponto de prostituição no final da Rua XV de Novembro, em Marília. Ela foi abordada por três rapazes em um carro, que também proferiram ofensas e ameaças.

Eles ainda gravaram a ação. No vídeo que circulou nas redes sociais, onde era escutar um dos ocupantes do veículo dizendo "olha, que bicha bonita". Kelly fez sinal negativo com a mão, e o extintor foi acionado contra o rosto dela.

Em seguida, os agressores passam a rir e a xingá-la. Segundo Kelly, um dos ocupantes do carro a ameaçou, gritando "vai morrer".

A Polícia Civil identificou dois dos agressores, que estão respondendo processo criminal.






568 visualizações0 comentário
bottom of page